Varejo: o motor da economia brasileira

“ Para o presidente do IDV e da Riachuelo, Flávio Rocha, é o varejo que vai garantir empregos O empresário Flávio Rocha, presidente da Riachuelo e do Instituto para o Desenvolvimento do Varejo, se empolga sempre que perguntam a ele sobre os rumos para o setor no Brasil. “É a maior empregador privado do Brasil: de cada quatro empregos,…

Novo vazamento detalha as especificações do Galaxy Note 4

Ainda faltam alguns meses para setembro, quando tradicionalmente a Samsung revela uma nova versão do Galaxy Note.

Apesar da proximidade cada vez maior, pouco se sabe sobre o aparelho da fabricnate sul-coreana.

O site SamMobile, especializado em informações sobre os produtos da Samsung, divulgou recentemente um pouco mais sobre o Note 4, o que nos dá uma pequena noção do que veremos pela frente.

Obviamente o aparelho será grand e a tela deverá ter entre 5,7 e 6 polegadas, com uma super resolução QHD de 2.560 x 1.440 pixels feita de AMOLED.

Ao que tudo indica, ele virá em duas versões: uma para o mercado norte-americano, sul-coreano, japonês e chinês, que terá o poderosíssimo processador Snapdragon 805 da Qualcomm; e outra para os demais mercados (incluindo o Brasil), que será equipada com o processador Exynos 5433.

A câmera traseira será de 16 MP e contará com um sistema de estabilização óptica de imagem fabricado pela Sony. A novidade deve garantir fotos boas em movimento. A câmera frontal, por sua vez, terá 2 MP e virá com o mesmo sensor do Galaxy S5.

Os demais sensores serão os mesmos que o do S5, com exceção de uma novidade até agora inédita: um sensor de raios ultravioleta. Especula-se que ele servirá para proporcionar um sistema mais eficiente de detecção da claridade para um melhor gerenciamento do brilho automático, mas também pode servir para informar ao usuário quando ele estiver exposto a níveis perigosos de raios solares – o que parece útil.

Outra característica interessante é que o modelo com o processador Exynos virá com o modem 4G modelo XMM7260 fabricado pela Intel, que é da Categoria 6 da LTE, o que permite velocidades de até 300 Mbps em redes que suportam a tecnologia. Mas não espere fazer proveito disso aqui no Brasil.

Para fechar, é bem razoável apostar que o aparelho virá com a tradicional caneta S Pen e que sua integração com o telefone seja melhorada. Sobre o sistema, o mais provável é o Android, claro, mas, com o recente lançamento do primeiro smartphone utilizando o Tizen, não seria uma surpresa tão grande assim que a empresa lançasse o Note 4 com seu sistema proprietário como uma tentativa de popularizá-lo. Algo bem improvável, mas não impossível.

 

Fonte: CanalTech

“”

Veja os 5 piores perfis de profissionais

Seja na hora de contratar ou de oferecer uma promoção, os perfis dos profissionais fazem toda a diferença.

 

Seja na hora de contratar ou de oferecer uma promoção, os perfis dos profissionais fazem toda a diferença.

Alguns, inclusive, chegam a jogar contra qualquer uma das duas oportunidades.

E foi isso que o Nube (Núcleo Brasileiro de Estágios) tentou mapear para alertar quem está entrando nomercado de trabalho ou quem quer se dar bem dentro da empresa – ou seja, todo mundo.

Depois de ouvir 6.945 pessoas, com idade entre 15 e 26 anos, a conclusão foi que os “fofoqueiros” são os mais mal vistos pela equipe, segundo 27,43% dos entrevistados. Nada mais tóxico no escritório do que aquela pessoa que sempre tem um comentário negativo a fazer sobre quem quer que seja.

Na sequência – quase empatados -, aparecem os “enroladores”, com 27,30%. Fingir estar sempre atarefado, mas nunca produzir nada e não ter nenhuma iniciativa também incomoda muito.

“Quando há uma maçã podre no círculo de convivência, todos os integrantes de uma equipe acabam contaminados. Por isso, tanto quem faz fofoca como os enroladores prejudicam o ambiente por inteiro e são mal vistos pelos colegas”, disse a coordenadora de treinamento e desenvolvimento do Nube, Yolanda Brandão, em entrevista ao Jornal O Globo.

Viver reclamando de tudo e de todos e descontar o mau humor nos colegas de trabalho também pega muito mal. Por isso, em terceiro lugar apareceu o “ranzinza”, com 22,75% dos votos.

Ainda de acordo com Yolanda, este é um tipo de comportamento bastante imaturo e que pode colocar o trabalho em risco.

Já o funcionário “pavão” conquistou a quarta posição com 13,03%. Sempre presente, é aquele que adora ser o foco das atenções e comentar seus bons resultados.

Por fim, na base da lista, com 9,49%, apareceu o “bajulador”. Tudo o que ele faz é criar laços em busca de benefícios.

Cinco rótulos extremamente prejudiciais e que, cedo ou tarde, podem destruir carreiras.

Fonte: Exame.com

“”

8 hábitos que podem arruinar suas apresentações

“ Mesmo a melhor apresentação pode virar um fracasso caso o orador cometa alguma dessas gafes. O colaborador do site Inc. Geoffrey James, após ler um artigo sobre erros de apresentações que os vendedores cometem frequentemente na frente dos clientes, escrito pela consultora de vendas Colleen Francis, percebeu que muitos dos itens listados se aplicam a todos…

Varejo online indiano sofre com logística ruim

Com estradas em péssimo estado, comércio online depende do transporte aéreo para movimentação de encomendas – fato que aumenta os custos.

Um mercado de mais de US$ 500 bilhões, um dos cinco maiores do mundo em valor, a Índia é, em grande parte, território inexplorado para o varejo. Com crescimento elevado em grandes e médias cidades e o aumento do uso de tecnologias de conectividade também nas áreas rurais, os formatos modernos de varejo vêm ganhando espaço no segundo país mais populoso do planeta.
 
Mas a Índia é um mercado cheio de desafios. O e-commerce, por exemplo, movimenta cerca de US$ 13 bilhões ao ano, mas está estrangulado por rodovias em péssimo estado e ferrovias ineficientes, que prejudicam o deslocamento de encomendas. A saída, em 90% dos casos, tem sido enviar os pedidos por avião, o que eleva ainda mais os custos. Não à toa, operadores online locais, como Flipkart, e gigantes globais como Amazon e eBay têm investido milhões de dólares em logística para superar as dificuldades, esperando o momento em que o governo permitirá que varejistas online vendam diretamente para os consumidores (hoje, ainda é preciso contar com um intermediário para isso).

Fonte: No Varejo

“”